“As feridas emocionais são o preço que todos temos que pagar para sermos independentes.”
-Haruki Murakami-

 

Tudo o que somos é resultado das experiências que vivenciamos ao longo da vida, em especial na nossa infância, no momento de formação da nossa personalidade.

Ali vendo, ouvindo e sentindo tudo o que nossos pais, nossos familiares mais próximos viviam, diziam e como se comportavam, formamos as nossas principais crenças de identidade, capacidade e merecimento. E são nossas crenças que agora nos levam a tomar decisões e agir (ou deixar de agir).

Essas crenças tanto podem ser crenças fortalecedoras como crenças limitantes e, como já dito são elas que moldam o nosso pensar, nosso sentir e o  nosso agir. E se você para observar vai ver que, em maior ou menor grau, repete o comportamento de um ou de ambos os pais (ou de familiares mais próximos) ainda que você perceba ou não goste propriamente desse comportamento.

Agora imagine como as feridas emocioniais obtidas na convivência familiar da infância podem refletir na sua vida! Esse texto fala sobre isso e super vale a pena conhecer e entender um pouco mais sobre o assunto, porém, sempre com a perspectiva de que nada é realmente definitivo. Podemos transformar nossas crenças, mudar nossos hábitos, superar medos e traumas,  e, construir outra história, se assim de fato quisermos.  🙂

 

Deixe seu comentário.

Comentar

Comments are closed.