Mais de 2500 advogadas inscritas e participação masculina, ainda tímida, perto da grandiosidade e importância do evento, a  II Conferência Nacional da Mulher Advogada foi um sucesso!

Os temas discutidos são atuais e de extrema relevância para a construção da igualdade de gênero  e do empoderamento da mulher, perpassando também pelas nuances que envolvem o universo da mulher advogada.

O presidente da OAB/MG, Antônio Fabrício Gonçalves, agradeceu a presença de todas e disse “vocês sonharam, ousaram e fizeram a maior conferência de mulheres advogadas do mundo”. E isso é, sem dúvida, o ponto mais importante: a capacidade de SONHAR, OUSAR e FAZER que as mulheres advogadas devem ter como verdadeiras agentes de (re)construção desse espaço onde a mulher seja reconhecida  e respeitada, inclusive por suas diferenças.

A Carta de Belo Horizonte, divulgada ao final da II Conferência Nacional da Mulher Advogada reflete o que foi discutido no evento e  traz em seu bojo “incentivar a efetiva participação da mulher advogada no cenário político partidário; lutar por honorários dignos para a mulher advogada; apoiar projetos de enfrentamento à violência de todas as formas contra a mulher; pugnar pela proteção dos direitos e prerrogativas da mulher advogada, no exercício profissional, nos departamentos jurídicos, públicos e privados; incentivar a participação das mulheres advogadas no “Movimento Mais Mulheres na OAB” como forma de fortalecer o protagonismo das mulheres no cenário político institucional no sistema OAB e garantir o exercício da Advocacia, em igualdade de condições para todas as mulheres, levando em consideração suas diversidades, como algumas das principais decisões decorrentes da Conferência.

Veja mais sobre o evento no próprio site da OAB Minas Gerais.

 

Deixe seu comentário.

Comentar

Comments are closed.