Eu estive pensando: como, ao longo do dia, estamos nos envenenando. E como isso nos prejudica, tanto em nosso potencial produtivo, como também na nossa capacidade de gerar condições de saúde, cuidado e bons relacionamentos, para alcançar os nossos sonhos. 

 

Se pudermos parar um pouco e pensar a respeito, podemos concluir que em muitos momentos da nossa vida estamos nos envenenando com o que estamos consumindo diariamente, seja no que diz respeito à alimentação, à qualidade das informações que recebemos ou buscamos, e até mesmo ao padrão de pensamentos e sentimentos que sustentamos na maior parte do tempo. 

 

E é sobre isso que quero falar com você hoje: o veneno diário que mata a nossa produtividade.

 

Identificando o veneno

Sabemos que a diferença entre o remédio e o veneno é a dosagem. Olha que interessante:   na antiga Grécia, usava-se a mesma palavra para designar remédio e veneno. E no caso do nosso tema, quando falamos do veneno diário para a nossa produtividade, queremos dizer que o problema também é a solução. 

 

O veneno diário para a nossa produtividade são os pensamentos, quando estes se tornam excessivos e negativos. É normal que estejamos pensando o tempo todo, milhares deles nos acompanham ao longo do dia. Estudos apontam que temos entre 20.000 a 40.000 pensamentos por dia, entre positivos, negativos e neutros. 

 

E imagine que, boa parte dos nossos pensamentos de hoje é a repetição dos pensamentos de ontem! Esses pensamentos negativos que se repetem ao longo dos dias são o veneno para a nossa produtividade. 

 

Como se livrar desse veneno em meio ao caos

Nosso tema de hoje é especialmente importante devido ao momento desafiador que vivemos. Em razão da pandemia, muitas pessoas estão em isolamento social. Independentemente da idade, muitas pessoas estão sozinhas em casa, outras com a família inteira. O que nos dois casos pode ser desafiador, pois estamos vivenciando uma realidade desconhecida até então. 

 

Nesse momento, é natural que a gente produza pensamentos ansiosos, conectados ao medo, ainda mais com tantas notícias e informações recebidas diariamente. Esses pensamentos podem mesmo nos fazer duvidar da nossa capacidade de passar por esse momento e sair da situação de uma maneira construtiva e empoderadas.

 

Por isso, precisamos criar um “filtro de spam mental” para avaliar a qualidade dos pensamentos e selecioná-los. Não é possível manter o equilíbrio com tantos pensamentos de ansiedade e medo!

 

Então, como disse antes, se a diferença entre o remédio e o veneno é a dosagem, temos que determinar se o volume desses pensamentos se tornará um veneno ou não. 

 

Nem sempre podemos ter consciência da qualidade dos nossos pensamentos. Eles vem, de maneira inconsciente. Podem ser alimentados por lembranças, internamente, como também de forma externa, por meio de notícias que nos chegam, por exemplo.

 

Dessa forma, é fundamental fazer gestão dos nossos pensamentos, que nada mais é do que observá-los e até mesmo questioná-los, pois a qualidade deles determina a nossa produtividade. 

 

O jeito Harvard de ser feliz

O livro “O jeito Harvard de ser feliz” menciona um estudo muito interessante, do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Harvard. Um grupo de 27 pessoas passou três dias jogando Tetris (um jogo muito popular na década de 80) ao longo de várias e várias horas. 

 

Ao fim do experimento, os participantes relataram que tudo que observavam era associado ao jogo. Que em todos os lugares que iam, observavam quantos tijolinhos caberiam naquele espaço, ou viam tijolinhos nos objetos. Esse experimento nos mostra que a repetição gerou um padrão nos participantes.

 

A partir daí, podemos concluir que a repetição de pensamentos gera um padrão, o que conhecido como “imagem residual cognitiva”. Assim, repetimos pensamentos semelhantes, com a mesma qualidade.

 

Gestão dos pensamentos 

Os pensamentos possuem papel fundamental na nossa produtividade, já que são responsáveis por gerar sentimentos, que, por sua vez, promovem ações que culminam em resultados. Uma quantidade muito elevada de pensamentos negativos, portanto, leva à sobrecarga mental de estímulos negativos. O que nos estimula a sustentar, ainda que inconscientemente, um padrão negativo. Essa é a ideia da “imagem residual cognitiva” que citei no tópico anterior: nosso cérebro busca padrões, ou seja, algo que seja conhecido.

Todo mundo conhece aquelas pessoas que estão sempre reclamando, não é? Muitas vezes já chegam nos lugares reclamando de tudo! Ou, muitas vezes, nós mesmas somos essa pessoa. Por isso, é importante que a gente entenda que essas pessoas não querem, deliberadamente, serem chatas ou irritar todo mundo. O que acontece é que elas já estão condicionadas a agir dessa maneira, o cérebro delas já está habituado a buscar os aspectos negativos. 

 

O que fazer?

Se o excesso de pensamentos negativos torna mais difícil a realização dos nossos sonhos, podemos dizer que os pensamentos positivos, edificantes, nos tornam mais produtivas e capazes de agir em direção aos nossos objetivos. Precisamos nutrir pensamentos e ter imagens mentais daquilo que nos aproxima do que queremos. Assim, quando entrarmos em ação, nosso cérebro vai buscar o que é conhecido. 

 

Dessa forma, podemos dizer que, por meio dos pensamentos, das imagens mentais, podemos cocriar a vida que queremos ter.

 

Como fazer?

Hoje a ciência já consegue comprovar o que há muito tempo se vem falando sobre o poder dos pensamentos. 

Assim, o ideal é que tenhamos um filtro de pensamentos, o “filtro de spam mental”, como já citei aqui anteriormente. Para isso, precisamos constantemente observar como estamos nos sentindo. Se você estiver se sentindo ansiosa, com medo, preocupada, por exemplo, o pensamento que está gerando essas sensações tem essa mesma qualidade. Exceto quando estamos em uma situação de ameaça, são os nossos pensamentos que geram nossos sentimentos. 

 

Logo, por meio do “filtro de spam mental”, analisamos a qualidade dos nossos pensamentos, buscando sua raiz e trabalhando para reduzir a  frequência desses que são enfraquecedores ou limitantes. Dessa forma, podemos conscientemente direcionar nosso pensamento para algo construtivo. 

 

Nesse momento de pandemia entendo que essa etapa seja especialmente desafiadora. Devido ao momento atual, frequentemente nos encontramos em uma atmosfera negativa. Pode não ser fácil sair de pensamentos de medo e ansiedade para pensamentos de gratidão. Mas é possível. Existem algumas estratégias para sair de pensamentos negativos para pensamentos construtivos e edificantes, como apresento a seguir. 

 

Algumas dicas 

Identifique a raiz do pensamento negativo. Substitua pelo seu equivalente positivo, por exemplo, se o pensamento é de preocupação em relação ao futuro, substitua por pensamentos e falas no sentido de que você está em condições de lidar com o que quer que apareça e tirar o melhor proveito de tudo, sempre. Ou traga lembranças de momentos em que você foi capaz de superar momentos desafiadores na vida. Assim, você pode mudar o estado emocional que está sustentando. 

Além disso, faça alguma atividade prazerosa, algo que realmente goste: isso também tem o potencial de mudar nosso estado mental e emocional. Você pode ouvir uma música, ler um livro, brincar com o seu bichinho de estimação… a partir de uma escolha consciente, você pode mudar o perfil vibracional dos seus pensamentos. 

 

E assim transformamos o veneno em remédio! Na verdade, em mais que um remédio: transformamos em algo verdadeiramente construtivo e empoderador para as nossas vidas! 

 

Espero que você tenha curtido esse artigo. 🙂

 

Agora só falta você me dizer o que achou no comentário abaixo e compartilhar com alguém que é especial pra você. 

 

Vamos passo por passo fortalecendo essa comunidade de mulheres que são donas de si, empoderadas, realizadoras e produtivas. E vamos mais longe quando vamos juntas!

 

Com carinho, 

 

Kelly Coimbra

Deixe seu comentário.

Comentar

Comments are closed.