Nesse artigo nós vamos falar sobre algo que está presente no nosso dia-a-dia, porém não costumamos para refletir sobre eles, os erros. 

Mas, antes de entrar no tema de hoje, é importante  estabelecer a diferença entre erros e obstáculos. Obstáculos são todas as coisas que nos impedem de alcançar um objetivo, realizar um sonho, buscar tudo que queremos desenvolver em nossa vida. São barreiras que nos impedem de caminhar em direção aos nossos sonhos como ausência de habilidades específicas, pensamentos condicionantes, necessidade de desenvolver alguma competência direcionada ou crenças/paradigmas limitantes, bloqueios emocionais, etc. 

Já os erros estão relacionados, na minha concepção a estrategias equivocadas, acoes nao desenvolvidas ou desenvolvidas incorretamente, falta de clareza quanto aos objetivos a serem realizados, em algum momento podem até ser confundidos com obstáculos, mas esteja atenta, são coisas bem diferentes. 

Pois bem, hoje vou trazer os três principais erros que cometemos em nossa jornada, que podem até mesmo gerar obstáculos mais adiante.

Primeiro erro: não investir no desenvolvimento pessoal

O primeiro é extremamente simples, mas acabamos cometendo-o com frequência: não investir em crescimento pessoal. Não é possível realizar nossos sonhos sem investir na melhoria de nós mesmas. Existe a ideia de que investir no conhecimento profissional, técnico, irá nos ajudar a realizar nossos sonhos. Sim, isso é verdade, à medida em que adquirimos mais conhecimentos e habilidades relativos à nossa profissão, nos tornamos profissionais melhores.

Porém, nosso sucesso, nossa qualidade de vida, nossa capacidade de realizar nossos sonhos, tudo isso está ligado ao nosso desenvolvimento pessoal. Por isso, esse é o erro número um: não investir em crescimento pessoal.

Quando não investimos no nosso desenvolvimento não conseguimos enxergar os obstáculos, os pontos cegos, nossas crenças limitantes, nossos hábitos emocionais negativos, nossos padrões de comportamento. Existe a ideia de que apenas adquirir conhecimento técnico irá nos tornar mulheres realizadoras.

Na prática!

Posso dar um exemplo bem usual dessa situação: como muitas de vocês sabem, eu sou advogada. E nesse meio profissional a tendência é que as pessoas invistam muitos recursos no intelectual, façam muitos cursos e especializações, até mesmo mestrados, doutorados… contudo, mesmo assim muitos não conseguem resultados expressivos no campo profissional e  até mesmo financeiramente, isso sem falar na “confusão” que fica a vida pessoal pela falta de equilíbrio entre essas duas áreas essenciais na nossa vida. Ainda que sejam profissionais tão competentes e que tenham se dedicado tanto aos estudos e à qualificação profissional. Isso acontece porque não é suficiente investir apenas no conhecimento intelectual para ter sucesso.

Esse fato pode ser facilmente observado nas mulheres. Sabe-se que a tendência é que as mulheres estudem mais e cheguem a níveis educacionais mais altos que os homens. É comum que as mulheres se voltem para a aquisição do conhecimento técnico, visando a uma melhor capacitação profissional. Nesse movimento, não é raro que as mulheres deixem um pouco de lado o desenvolvimento pessoal, ainda que nós sejamos muito mais abertas a gerar transformação pessoal. Infelizmente, é comum que busquemos esses conhecimentos apenas depois que o corpo já começa a dar os sinais de que algo não vai bem, muitas vezes já com a nossa saúde comprometida.

Quando nos desenvolvemos como pessoas, abrimos espaço para crescer em outras áreas, inclusive no profissional.

Segundo erro: ignorar nossa intuição

Nossa intuição é nosso canal para a fonte de tudo que é, a inteligência infinita, sem precisar de intermediários. Todos são capazes de estabelecer essa conexão, mas as mulheres conseguem fazer isso de maneira ainda mais genuína.

Contudo, é comum que deixemos de lado nossa intuição, sobretudo quando estamos muito focadas no nosso lado racional. 

Nossa alma não tem barreiras, bloqueios mentais e emocionais como os que são manifestados no nosso corpo, quando estamos voltadas exclusivamente para o lado racional. E a maneira que a nossa alma tem para se comunicar conosco é a intuição.

Nossa intuição nos dá respostas para coisas pequenas, do dia a dia, mas também para as grandiosas. Muitas vezes ela vem e fazemos questão de ignorar, tachando como bobagem. Ao se conectar com a intuição, somos capazes de tomar melhores decisões, caminhar pela vida de maneira mais autêntica, e encontrar soluções mais criativas para nossas questões.

Por outro lado, quando não ouvimos nossa intuição, acabamos aprendendo da maneira mais difícil.

O terceiro erro: não definir com clareza quem queremos ser

Pode ser que, ao ser perguntada sobre o que quer ser, alguma de nós responda “quero ser feliz”. Mas o que é ser feliz? O que é ser uma mulher realizadora, com qualidade de vida, para você? Para uma mulher, ser feliz pode ser viver no interior, em uma casa grande com jardim, junto com os filhos e seu companheiro. Para outra mulher, ser feliz pode ser algo completamente diferente.

Não ter clareza do que queremos ser como mulher, como profissional, como ser humano que pode deixar algo valioso no mundo, é um dos principais erros que podemos cometer na nossa jornada para ser uma mulher realizadora com qualidade de vida.

Não saber o que se quer, para onde se deseja ir, é algo mais comum do que parece. Nos meus cursos e atendimentos, percebo que a maioria das pessoas tem dificuldade de listar seus objetivos de curto, médio e longo prazo. Essa dificuldade se deve ao fato de que não somos educados para isso, e também porque, muitas vezes, não nos sentirmos\ merecedores de realizar o que desejamos.

A grande característica das mulheres que são realizadoras é saber para onde querem  ir. Se não temos a visão de onde queremos chegar, como podemos viver nossos dias conectadas a ela?

E o que podemos fazer?

Já vimos que esses erros são cometidos de maneira inconsciente, ou seja, não paramos para pensar neles, e não somos instruídas a pensar neles. E vimos também que esses erros não se confundem com os obstáculos. Mas o que podemos fazer?

Alguém pode dizer, por exemplo, que não tem dinheiro para investir em crescimento pessoal. Sobre esse ponto, há duas coisas importantes a dizer: podemos ter acesso às mais diversas informações, de maneira gratuita, ao alcance de um clique no celular. Por outro lado, ao investir dinheiro em nosso crescimento pessoal, criamos o merecimento de gastar com nós mesmas, para ser a pessoa que desejamos ser. Além disso, esse investimento proporcionará acesso a pessoas e ferramentas que irão acelerar a transformação que estamos buscando.

Pude constatar esses erros a partir da observação das minhas vivências, minha própria trajetória e claro, na caminhada junta das minhas alunas e clientes, minhas borboletas!! <3 

Quanto antes tomarmos consciência deles, mais rápida será nossa transformação. Assim, poderemos transformar a nossa própria vida, a vida de outras mulheres e até a sociedade: uma mulher transformada, curada, é capaz de transformar tudo a seu redor. E esse é o meu compromisso: te ajudar a revelar o melhor de você para si mesma e para o mundo. 

 

Com carinho,

 

Kelly Coimbra

Deixe seu comentário.

Comentar