Se você é como a maioria das pessoas, ou melhor, das mulheres, com certeza você já se fez as perguntas abaixo:

 

Porque não começamos o que planejamos? Ou, tendo começado, porque não seguimos adiante na realização das nossas metas e objetivos? Porque nos permitimos sabotar? Porque damos espaço à procrastinação e deixamos de tomar decisões ou executar ações que sabemos importantes para o que gostaríamos de viver??

 

 

No artigo de hoje vamos abordar os três principais vilões da produtividade e da alta performance, de quebra vamos falar um pouco também sobre procrastinação e autossabotagem, temas que pretendo desenvolver com vocês num outro artigo exclusivo para isso. Mas, por enquanto fique aqui comigo pra ver de perto quais são os 3 vilões e como você pode começar a  cuidar disso.

 

Pois bem, a neurociência tem se ocupado, nos últimos tempos, de estudar o funcionamento do nosso cérebro e as descobertas tem sido fantásticas e muito reveladoras. Há estudos sobre os hábitos, sobre porque fazemos ou deixamos de fazer determinadas coisas rotineiramente, estudos sobre a felicidade, sobre o poder da gratidão ou sobre a procrastinação. 

 

Muitos desses estudos comprovam, por exemplo, que podemos substituir ou criar novos hábitos, podemos superar a procrastinação e a desmotivação, como também desenvolver ou elevar consideravelmente o nosso nível de felicidade. Esses mesmos estudos tem trazido luz ao entendimento dessa dificuldade na realização dos objetivos, sendo que os principais vilões que impedem de realizar nossos objetivos são i)  a dificuldade de identificar com clareza quais são nossos sonhos e objetivos; ii) a falta de foco e, iii) incapacidade de gerenciar nossas emoções.

 

1. A dificuldade de identificar com clareza quais são nossos sonhos e objetivos

 

Eu vou te fazer uma pergunta simples e rápida, sugiro que pare e anote a resposta, pois isso servirá de parâmetro futuramente. 

 

Quais são os seus sonhos a curto, médio ou longo prazo? O que você quer realizar daqui a 3 meses, 6 meses, 12 meses, 2 anos, 5 anos, 10 anos, 15 ou 20 anos? 

 

Pois bem, me arrisco a dizer, provavelmente ficou engasgada com essas perguntas. Eu me arrisco a dizer ainda, se você for como a maioria das pessoas, que passado o susto inicial terá pensado “Ah, eu quero ter sucesso”, “eu quero ser feliz”, “eu quero ganhar dinheiro”.  Então, eu te pergunto: O que é ter sucesso para você? O que é ser feliz? O que é ganhar dinheiro? Se você quer ganhar dinheiro e eu te der uma nota de R$ 10,00 você ficará satisfeita?

 

 

Grande parte  das pessoas não sabe identificar com clareza quais são seus sonhos ou o que gostariam de realizar ao longo da vida, quem gostariam de ser ou onde gostaria de estar em  2, 5 ou 10 anos. E isso acontece simplesmente porque nunca pararam para pensar sobre o assunto. 

 

 

Além disso, numa cultura imediatista, tudo o que todos querem é resultados instantâneos, preferencialmente com zero de esforço. Os sonhos são instantâneos, você pensa neles e pretende a sua realização quase como que um passe de mágica, não há uma construção e a maioria das pessoas pensa, ainda que inconscientemente,  que vai sair do sonho idealizado direto para o resultado. 

 

  Por isso é tão comum ver as pessoas desistindo dos seus sonhos e objetivos, sucumbindo à procrastinação e à autossabotagem.

 

Esse é um dos principais vilões porque é praticamente impossível você avançar para qualquer lugar que seja se você não sabe que lugar é esse.  Há um dito popular que bem explica isso: “se você não sabe para onde vai, qualquer caminho serve”. Se você não sabe para onde quer ir, qualquer lugar é lugar. Se você não tem sonhos, a vida perde o sentido.

 

Mas, vamos além! Para realizar seus sonhos e objetivos você precisa se colocar em ação. É com um planejamento de ação para as metas e objetivos traçados e a execução disso, que você está apta se tornar produtiva e alcançar a alta performance. 

 

Conhecimento por si só, infelizmente, não é sinônimo de realização. A advocacia está repleta de especialistas, de intelectuais, com pouco ou nenhum resultado.  E para isso, eu te trago uma frase de Usain “Raio” Bolt, atleta de alta performance considerado o homem mais rápido do mundo: 

 

“Os sonhos são gratuitos. Os objetivos têm um custo. Enquanto você pode sonhar de graça, as metas não vêm sem um preço. Tempo, esforço, sacrifício e suor. Como você vai pagar pelos seus objetivos?” Usain Bolt

  

Se você já tem uma lista com todos os desejos a serem realizados a curto, médio e longo prazo, você está de parabéns! Já se vê que você está um pouco adiante na escalada rumo à produtividade a à alta performance e o que te impede pode ser explicado nos outros dois vilões.              Seguimos!

 

 

2.A falta de foco

 

A falta de foco pode ser percebida de várias maneiras. Uma das mais visíveis pode acontecer do seguinte modo:  eu me programo para fazer atividade física todos os dias às 19h, saindo direto do trabalho para a academia. Porém, hoje eu não vou porque esqueci que tinha marcado de encontrar uma amiga que não veja há tempos, bem no horário da academia; ontem eu já não fui porque não coloquei o tênis na mochila e se ficou inviável voltar em casa buscar o tênis para então seguir à academia;  anteontem eu não fui também porque precisei entregar um documento cujo prazo já estava estourado. 

 

Isso acontece também quando a gente se programa para fazer determinada tarefa, tipo “hoje vou trabalhar naquele recurso que o prazo vence em dois dias”, porém não consigo levar a cabo a programação porque a todo momento sou interrompida com coisas que me desviam a atenção do foco programado. Ou chega alguém querendo contar como foi sua viagem de férias, ou eu paro ver uma mensagem no Whatsapp e acabo percorrendo todas as redes sociais e só aí perco nada mais nada menos que 50’, ou eu saio para almoçar e resolvo comprar materiais do escritório e pagar alguns boletos no caixa  eletrônico e por aí vai…

 

O dia termina sem que eu tenha, de fato, cumprindo o objetivo programado porque eu estive perdida em milhares de outras distrações, que, embora até fossem importantes, poderiam ser feitas num outro momento de acordo com uma programação prévia. 

 

A falta de foco faz com que as pessoas se percam ao longo do dia, da semana, dos meses ou até mesmo dos anos, impondo a dura sensação de que o dia deveria ter 30 horas, quando, na verdade é somente a nossa incapacidade de estabelecer e manter a atenção voltada ao objetivo programado até que ele esteja finalizado. 

 

 

 

 

Manter o foco em objetivos de longo prazo é ainda mais desafiador. 

 

 

 

 

Para ter uma ideia de como você pode começar a trabalhar seu foco, vamos utilizar a distinção de foco trazida por Paulo Vieira, no best seller “O Poder da Ação”. Segundo ele,  o foco é múltiplo e divide-se em três tipos:

 

     1. Foco visionário: é preciso ter uma visão clara e positiva do objetivo a ser realizado. Você tem que ser capaz de fechar os olhos e ver com nitidez o sonho realizado.

 

     2.  Foco comportamental: é a capacidade de manter o comportamento adequado e condizente com o objetivo a ser realizado. Em outras palavras, significa que você está pensando, lendo, conversando e escrevendo sobre o objetivo a ser realizado. Ex.: se o objetivo é abrir uma empresa, você está pensando sobre como fazer isso, está buscando livros ou cursos que ensinem como abrir uma empresa no ramo que você quer, está conversando com pessoas que já possuem empresas, ouvindo sua história, aprendendo sobre os erros e acertos; está escrevendo sobre os pontos importantes ou a serem evitados na abertura da empresa, escrevendo o planejamento estratégico.    

 

      3.  Foco consistente: é a capacidade que a pessoa tem de manter os outros dois tipos de foco, o visionário e o comportamental. É você ter a certeza, a segurança de que é esse o seu objetivo, de que você quer mesmo realizá-lo e que não desistir enquanto não conseguir, você não se perde com as distrações.  Esse tipo de foco pede que a pessoa não perca a perspectiva de onde quer chegar e mantenha-se ligada cognitiva e emocionalmente ao seu objetivo. Isso significa que você vai manter o foco e a energia até realizar o objetivo. Tem foco consistente aquele que persiste no caminho de realizar os seus objetivos, muitas pessoas desistem no meio do caminho ou quando já estão bem perto de alcançar o resultado desejado.

 

3.  Incapacidade de gerenciar nossas emoções

 

A nossa incapacidade de administrar as emoções, de ter autonomia emocional é algo que limita nosso potencial. De fato, não é fácil mesmo lidar com as nossas próprias emoções, que dirá ter ainda que lidar com o lixo emocional da sociedade, como é o caso da advocacia, lidar as emoções do cliente, chefe, colega de trabalho, amigos e familiares!

 

A incapacidade de gerenciar emoções traz toda sorte de consequências que atingem, sem distinção, praticamente todas as áreas da nossa vida. Não ter autonomia emocional pode repercutir na diminuição da nossa capacidade de aprendizado, repercutir negativamente nos nossos relacionamentos de amizade, profissionais ou familiares, potencializando problemas financeiros e outros tantos.

 

 

E a gente não precisa de muito para constatar a quantidade de pessoas que estão hoje, sofrendo de estresse, depressão, ansiedade, frustração, irritação constante, síndrome de pânico, dificuldade de concentração… ufa!   Isso sem falar nos problemas de relacionamento interpessoal que atingem algumas pessoas tornando a vida quase insustentável. 

 

 

Nesse ponto, vários são os estudos científicos demonstrando que o gerenciamento das emoções desempenha um papel fundamental nos quesitos produtividade, objetivos realizados, sucesso, bem-estar e felicidade.  

 

No artigo da semana passada, O fantasma oculto da produtividade, nós falamos sobre como o fator emocional, em especial as emoções negativas afetam nosso desempenho, resultados, relacionamentos e até mesmo a saúde, nos afastando completamente da realização dos nossos sonhos e da alta performance. 

 

Lá nos entendemos ainda mais: as emoções positivas ampliam nosso escopo cognitivo e comportamental, nos ajudam a pensar com mais rapidez e criatividade, a ser mais hábeis em análises complexas e na resolução de problemas, a enxergar e inventar novas maneiras de fazer as coisas, como também a organizar informações novas, mantê-las por mais tempo no cérebro e a acessá-las com mais rapidez no futuro. Recomendo que você vá até lá pra ver esse artigo e já começar a aplicar as dicas que tem lá na sua vida.

 

Então, agora não há dúvidas: não ter clareza de quais sonhos que queremos realizar, que perder o foco ou não saber gerenciar as emoções são os três grandes vilões que nos impedem de seguir realizando nossos sonhos e, por fim, ter produtividade e alta performance.

 

E é isso mesmo, não existe milagre, os resultados em todas as áreas da nossa vida são apenas fruto de nosso esforço e de uma mente programada corretamente para gerar essa energia que tanto precisamos para trazer os resultados.

 

E agora, para finalizar  esse artigo, eu vou deixar duas dicas preciosas para quando você traçar seus sonhos de curto, médio ou longo prazo:

 

  1. Porquê poderoso. Ter um porquê poderoso ou propósito inabalável acerca do que você quer está relacionado ao que você acredita e faz sentido para você, mas também está atrelado às pessoas que você ama. Como a realização dos seus sonhos vai influenciar positivamente sua família, filhos, companheiro, pais, amigos (isso é o que poderíamos chamar de “todos nós) e o mundo de maneira geral.  Quando o seu porquê faz sentido pra você fica mais fácil trabalhar para o “todos nós”.

 

  1. Celebre, comemore cada pequena vitória ao longo do processo. Você gera emoções positivas que te ajudam a manter a energia, o foco e a motivação para fazer o que é necessário até alcançar a realização dos seus sonhos e objetivos.

 

Eu espero que você tenha gostado desse artigo, que tenha feito sentido para você e que possa colocar em prática as dicas que eu trouxe aqui.

 

Comente aqui nos comentários o que achou e marque uma amiga para que ela veja também. Assim seguimos todas juntas numa corrente do bem e fortalecendo a nossa comunidade de advogadas de alta performance.

 

Vejo você no próximo artigo.

 

Com carinho, 

 

Kelly Coimbra

Deixe seu comentário.

Comentar

Comments are closed.